Culto ao corpo: como lidar com a ditadura da beleza?

Os procedimentos estéticos banalizaram muito em nossa sociedade e hoje o Brasil é um dos líderes no número de cirurgias plásticas e procedimentos estéticos, seja em homem ou mulher. Para nós, psicanalistas, o corpo não existe no espaço, existe na cabeça daquele que o carrega.

Culto ao corpo - Como a beleza está associada à juventude, a mulher também vai lutar contra o tempo que não para de passar.
Como a beleza está associada à juventude, a mulher também vai lutar contra o tempo que não para de passar.

Atualmente, nos deparamos com um esforço interminável pelo corpo ideal, ou seja, por aquele exibido nas mídias, que é a imagem de uma beleza inalcançável.

Este esforço acaba por gerar um adoecimento psíquico que vai provocar um sentimento “narcísico” onde se busca um ideal inatingível. Essa valorização excessiva de um padrão de beleza da mulher, muitas vezes, a leva a distúrbios alimentares, por meio de dietas exageradas, exercícios físicos em demasia, podendo vir a desenvolver anorexia e bulimia.

Como a beleza está associada à juventude, a mulher também vai lutar contra o tempo que não para de passar. Nessa luta e nas demais, o que ocorre é haver muita frustração, que pode levar a mulher a situações de adoecimento como depressão e baixa autoestima.

Nessa guerra contra o modelo de corpo feminino imposto pelo mercado e pela mídia e, para que a mulher possa conservar a própria singularidade, será preciso que desenvolva um pensamento mais crítico acerca dos padrões de corpo e mantenha, assim, sua saúde mental e física.

* Artigo publicado pela colunista Leila Cristina, psicanalista. (@leilacristina_psicanalista).

Compartilhe esse artigo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!