Maio amarelo: vamos evitar acidentes de transito

Maio Amarelo – Somente no primeiro trimestre deste ano, cerca 25% dos pacientes transferidos para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), encaminhados de outras unidades de saúde, sofreram algum tipo de acidente de trânsito, apontam dados do Instituto.

O dado faz parte de um mapeamento do INTO, iniciado em janeiro, que tem como finalidade identificar os principais tipos de acidente e as consequentes lesões ortopédicas e sequelas causadas por estes acidentes.

Corretora - Os acidentes com motos foram os mais registrados, representando 55% dos casos de trauma recebidos pelo Instituto
Os acidentes com motos foram os mais registrados, representando 55% dos casos de trauma recebidos pelo Instituto.

“Apesar de não possuir atendimento de emergência, o INTO recebe muitas vítimas de acidentes de trânsito encaminhadas de outras unidades de saúde. É importante entender o perfil desses pacientes e os modais que registram mais acidentes para adotarmos estratégias de prevenção”, explica a diretora do INTO Germana Bahr.

Os acidentes com motos foram os mais registrados, representando 55% dos casos de trauma recebidos pelo Instituto. Em seguida, estão as vítimas de atropelamentos (26%), além dos incidentes com bicicletas (13%) e carros (6%). Os jovens adultos do sexo masculino, com idade entre 20 e 39 anos, representam o maior número de internados.

Para fazer um alerta sobre o tema, uma faixa com a mensagem “Segurança no trânsito: juntos salvamos vidas!” será instalada na passarela localizada próxima ao Instituto. “Por ser um ponto de tráfego intenso e alta visibilidade, o objetivo é reforçar para o maior número de pessoas a importância de respeitar as sinalizações e leis de trânsito, já que a segurança no trânsito é uma responsabilidade compartilhada por todos”, pontua a diretora do INTO.

A mobilização também vai alcançar funcionários e pacientes do Instituto, com a entrega de laços amarelos – símbolo do Maio Amarelo – acompanhados de folhetos explicativos que conscientizam sobre a data. Nas redes sociais, uma série de publicações irá alertar sobre a segurança no trânsito, com vídeos de Detran-RJ falando sobre as principais lesões causadas por esse tipo de acidente.

Outras estratégias educativas estão sendo promovidas pelo Instituto, como a criação de um aplicativo voltado para estimular a atenção no trânsito. O projeto será desenvolvido com a ajuda de crianças e adolescentes que irão participar de um hackathon – uma espécie de maratona de programação – realizado pelo INTO em parceria com o Detran-RJ e a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot), no fim de maio.

“É uma ação voltada para ampliar a conscientização sobre o tema entre crianças e adolescentes, contribuindo para a formação de cidadãos que respeitem a legislação e, futuramente, não se envolvam em acidentes de trânsito”, conclui a diretora.

Compartilhe esse artigo!

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!