Como o empreendedor deve precificar os seus produtos e como isso reflete nas vendas?

Interna 780x442 5

 

É de fundamental importância que o pequeno empresário entenda um pouco de todas as áreas do seu negócio: como gerir pessoas, contratar, criar processos, aspectos operacionais e financeiros.

Um dos principais gargalos do empreendedor é justamente a falta de conhecimento sobre essas diferentes áreas que acabam gerando alta rotatividade de colaboradores, baixa qualidade no atendimento e até mesmo prejuízo financeiro quando ele não sabe sobre seu estoque, margens e porcentagem de perda (seja através de desperdício, roubo e furto ou prazo de validade, por exemplo).

Como empresário e consultor empresarial sugiro que os pequenos empreendedores tenham um controle detalhado de todos seus custos fixos (aluguel, funcionários, honorários de contador e advogado, conta de luz e água etc.) além dos custos variáveis (itens de estoque, insumos, matéria prima, entre outros).

A partir do momento que você é capaz de detalhar todo o seu custo, você conseguirá definir quanto precisa vender para chegar ao breakeven (ponto de equilíbrio entre receitas e despesas) e quantificar quanto você precisa colocar de porcentagem em cada item ou venda para que possa se organizar em como pagar suas contas e lucrar.

A ausência de clareza nessas informações gera distorções como: negócios com alto faturamento, mas que não conseguem pagar suas contas ou empresas que possuem custo fixo muito alto e nunca dão lucro. E a pergunta que você deve se fazer nesse momento é: “Como eu posso aumentar meu faturamento e lucrar mais?”

Para que isso aconteça você precisará cortar gastos (fixos e/ou variáveis) e talvez aumentar sua margem de lucro. É sabido que existem negócios que operam com a margem de lucro menor, como postos de gasolina e supermercados, entretanto, existem negócios que possuem uma margem de lucro maior, como alimentação e prestação de serviços.

O objetivo deste artigo não é dizer que sua margem deve ser de 5% ou 50% sobre sua venda, mas que seja condizente com a realidade do seu mercado, da qualidade e agilidade entregue por você e seu time além do quanto seu cliente enxerga de valor naquilo que você oferece e o quanto ele está interessado em pagar no seu produto ou serviço.

Não esqueça, considere seus custos fixos e variáveis, analise o mercado, entenda seus concorrentes e faça a precificação correta. Lembrando que uma margem de lucro calculada errada significa o mesmo que queimar dinheiro e como empresários…nunca se deve queimar dinheiro!

Compartilhe esse artigo!

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!