Inovação é o segredo da sobrevivência do negócio

inovar - coluna andre luiz - interno

Segundo pesquisa recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cada dez empresas no Brasil, seis não sobrevivem após cinco anos de atividade. Das 694,5 mil empresas abertas em 2009, apenas 275 mil (39,6%) ainda estavam em funcionamento em 2014. E mais de 157 mil (22,7%) fecharam as portas após o primeiro ano de funcionamento. O consultor de gestão da inovação André Luiz Dametto faz parte de um grupo privilegiado de empresários brasileiros, de acordo com a pesquisa do IBGE. Neste ano, ele completou 13 anos à frente da ALD Consultoria, empresa especializada em gestão de carreiras que visa ajudar profissionais e organizações a transformar conhecimentos em resultados.

Dametto destaca que empreendedores precisam conhecer bem o próprio negócio e o mercado em que atuam para garantir mais anos de portas abertas. “Quem não investir em autoconhecimento não vai ter competitividade. É importante fazer pesquisa de mercado e entender as necessidades do cliente, essa inteligência é fundamental para quem quer empreender”, diz ele, que também é professor da pós-graduação de gestão de marketing da UFRJ.

O consultor acrescenta que as empresas também precisam aprender a manter o foco no cliente. “Hoje, a concorrência é grande e às vezes ela vem do outro lado do planeta. Os empresários precisam investir em engajar os atuais clientes e dialogar com o mercado. Tem empresário que busca captar clientes novos, mas se esquece de engajar quem já está com ele”, avalia.

Desde 2013, o quadro de pleno emprego e expansão dos negócios vem mudando, e assim os profissionais estão precisando realinhar suas carreiras e estratégias, seja buscando maior produtividade no dia a dia, ou novas oportunidades. Visando inovar na forma como oferece o serviço, Dametto tem utilizado ferramentas criativas para revelar as vocações de seus clientes. Além dos tradicionais testes de mapeamento de talentos, o consultor utiliza a astrologia vocacional nos projetos. Segundo ele, ferramentas muito lógicas e cartesianas tornam a consultoria apenas um processo burocrático, e não ajudam realmente as pessoas a assumirem quem realmente são.

“A astrologia não se reduz ao horóscopo que lemos nos jornais e revistas, como muitos pensam. Quem já teve a oportunidade de estudar com mais profundidade sabe da riqueza que ela oferece a partir dos símbolos de cada planeta, casa astrológica e signo zodiacal. Lendo a carta natal (mandala que representa a disposição dos astros no céu no instante do nosso nascimento), é possível identificar vocações, propósitos, potenciais, riscos e curas que farão total diferença no planejamento de carreira de cada pessoa. A sociedade atual, cada vez mais voltada para telas digitais, nos distancia do maior portal de busca que existe: a nossa própria intuição. E é isso que eu busco desenvolver nos clientes, a reconexão com a sua essência. A cada questão na consultoria, eu pergunto para eles: e agora, o seu peito está quente? Se sim, bom sinal!”, explica Dametto.

Entre os resultados obtidos com a consultoria, Dametto destaca a recolocação de seus clientes em oportunidades mais harmonizadas com os seus objetivos, além do crescimento profissional de muitos, que já chegaram a presidentes de empresa e donos de seus próprios negócios. Ganham também as empresas, com profissionais mais engajados, produtivos, e mais potentes para aumentar os lucros nos negócios.

 

Compartilhe esse artigo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!