O que fazer em Madrid? (parte 3)

Para terminar a nossa lista de passeios imperdíveis por Madrid, vamos aos museus e programas noturnos:


Museus

O Paseo Del Prado é o jardim histórico urbano mais antigo de Madrid e é a avenida que mais respira arte, lá estão os principais museus da cidade:

Museu do Prado: o mais importante da Espanha com coleções de Tiziano, El Bosco, El Greco, Rubens, Velázquez e Goya. Há exposições diferentes ao longo do ano. De segunda a sábado, das 18 às 20h, e, aos domingos e feriados, das 17 às 19h, a entrada é gratuita.

Para mais informações: https://www.museodelprado.es/


Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia:
é o museu de arte moderna e contemporânea de nível internacional, com uma coleção de mais de 20 mil obras, incluindo o famoso Guernica, pintado por Pablo Picasso. Fechado às terças-feiras.

Para mais informações: http://www.museoreinasofia.es/


Museu Thyssen Bornemisza:
forma com o Museu do Prado e o Reina Sofia o chamado “Triângulo de Ouro da Arte”. Abriga a antiga coleção particular da família Thyssen Bornemisza e que hoje pertencem ao estado espanhol. Lá há obras impressionantes de Fra Angelico, Caravaggio, Rembrandt, Monet, Salvador Dalí, entre outros.

Para mais iniformações: http://www.museothyssen.org/


CaixaForum:
museu e centro cultural de arte antiga, moderna e contemporânea, com espaço para workshops, festivais de música e poesia, debates. O edifício, sede da antiga central elétrica, foi recuperado e hoje em dia é facilmente reconhecido pelo jardim vertical que está na sua entrada.

Para mais informações: https://obrasociallacaixa.org/

 

Noite

“Madrid nunca duerme”, esta expressão muito conhecida pelos madrilenhos retrata a mais pura realidade: Madrid não para e tem uma das noites mais ativas do mundo, e isso não é algo recente. No início dos anos 80, após a queda da ditadura Franquista, a cidade sofreu uma importante mudança no cenário cultural: o surgimento da “Movida Madrileña”, um movimento que foi parte da liberalização cultural e ideológica a que se abriu a grande maioria da sociedade espanhola, que passou a ir para as ruas a fim de se expressar. Esse movimento contou com a influência de intelectuais e artistas da época, como o diretor de cinema Pedro Almodóvar, um dos símbolos da Movida.

Enumerar o que se pode fazer na noite de Madrid não é tarefa fácil, mas vamos sugerir diferentes áreas da cidade, cada uma com sua atmosfera e estilos próprios, onde é possível ter boas alternativas:


Malasaña:
aqui nasceu a Movida e até hoje ainda há muitos bares e salas de festas. É tido como uma zona alternativa apesar da popularidade atual. Os locais mais movimentados são a Plaza Del Dos de Mayo, Calle de San Vicente Ferrer e a Calle de La Palma. Estação de metrô mais próxima: Tribunal.


La Latina:
uma das regiões mais populares entre os madrilenhos que lotam os bares da Cava Baja (uma das ruas do bairro com muitos bares), Plaza de La Paja e Plaza San Andrés. É também um bom lugar para se curtir o final da tarde aos domingos.


Chueca:
um dos bairros mais cosmopolitas de Madrid, é uma zona gay friendly com muitos bares, bons restaurantes e boates. Estação de metrô: Chueca.


Porta do Sol, Gran Via e Huertas:
nessa região, há muitas opções de restaurantes, pubs, bares de tapas, mas é uma área mais frequentada por turistas por conta da sua localização central. De qualquer maneira, há excelentes opções como os bares de jazz Café Central (Plaza Del Ángel, 10) e o Café Popular (Huertas, 22). Para assistir dança flamenca, tem o Cardamomo (Echegaray, 15). O bom dessa área é que está tudo muito próximo um do outro.

Compartilhe esse artigo!

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!