Seguros: novos rumos de fazer negócios

 

O modelo de fazer seguros é praticamente o mesmo desde o período das grandes navegações, mas passa agora por um momento de transformação.

Entre os vetores da transformação, está a maturidade das tecnologias. Qualquer tecnologia passa por uma primeira etapa de uma grande expectativa, em que estima-se seu impacto, para se chegar, depois, ao nível de que realmente é capaz.

A transformação ocorre em três grandes níveis: digitalização de processos, que está em andamento, a evolução do modelo de negócios e as mudanças em nossa própria realidade. Para enfrentar essa revolução, serão necessários visão estratégica e ferramentas de transformação. Por visão estratégica, leia-se uma espécie de GPS, que ajude a entender para onde o mercado está indo, de modo que os esforços da empresa possam ser concentrados na direção correta.

As ferramentas, por sua vez, são modelos de inovação abertos e mudanças dentro das organizações. Grande parte da disrupção acontece no sistema empreendedor, nas insurtechs. É fundamental estabelecer relações de cooperação com as startups, que vêm atuando de forma colaborativa com o setor: grande parte delas quer vender algo para uma companhia tradicional.

Ou seja, o mercado de seguros e seus profissionais precisam estar atentos para as novidades e se adequar a elas. Nesse contexto, aqueles que tiverem maior poder de adaptação sairão na frente.

 

Compartilhe esse artigo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!