Por que as pessoas procrastinam?

por que as pessoas procrastinam 2
Qualidade das escolhas e o idealismo são causas da procrastinação | Foto: Divulgação

É importante classificarmos as causas como involuntárias e voluntárias. As involuntárias são as causas de natureza biológica, de saúde mental. Doenças como depressão, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, Síndrome do Pânico etc. Em relação a estas, o mais importante é o diagnóstico por um especialista e o imediato tratamento. Em relação às causas voluntárias da Procrastinação, ou seja, causadas pelo próprio indivíduo, tenho percebido duas principais causas: Qualidade das escolhas e o Idealismo.

Qualidade das Escolhas – Uma das maiores evidências da inteligência humana é o poder de realizar escolhas. Entretanto, muitas pessoas sofrem com tal poder preferindo que outras pessoas (pais, chefes, governo etc.) decidam por eles. Fazendo foco em Brasil, é um problema crônico de nossa educação, desde cedo oferecer ao aluno questões de múltiplas escolhas, ali tem algumas escolhas, limitando assim o poder de escolha dos alunos. É uma falsa liberdade. Portanto, a maior parte da população é treinada para aceitar as escolhas feitas por superiores. Isso é uma tragédia! Como dirá Jean Paul Sartre, “Somos condenados a ser livres”. As escolhas são feitas baseadas num juízo de valor, todo mundo escolhe a partir da conclusão de que aquela escolha é a melhor, se não fosse não escolheria. Ora, comprar ou não uma bolsa? Você se imagina com a bolsa, e a cena que imagina é bela! Resultado: compra. Quando não avaliamos muito bem uma situação e não percebemos valor, escolhemos o não fazer, ou não priorizar. Se algo agrega pouco valor, certamente não será prioridade. Se não tem muito valor para nós, fatalmente não teremos vontade para fazer. Vontade é o motivo que é transformado em força para agir.

É muito importante ressaltar que todos nós procrastinamos. Precisamos refletir em quais situações é prejudicial ou benéfico. Por exemplo, procrastinar a venda de um imóvel poder ser benéfico, quando o valor deste aumenta. Mas procrastinar uma consulta ao cardiologista pode não ser uma boa ideia. Portanto, a procrastinação não é algo necessariamente ruim se as escolhas forem criteriosas e bem feitas. Quando assim acontece, o que existe é uma priorização de tarefas, o que é bom. Agora, se as escolhas são mal feitas, tarefas importantes são adiadas, e isso certamente acarreta em prejuízo.

Idealismo – Existem pessoas que precisam ter as condições ideais para que executar uma tarefa. Como a condição ideal geralmente é difícil, a tarefa vai sendo procrastinada. Esse tipo de pessoa também costuma ser perfeccionista. Não admite que a tarefa seja mal feita. E quem é o perfeccionista senão um colecionador de frustrações? Porque perfeição não é fazer algo segundo os padrões mentais dele. Perfeição é a convicção de que está sendo feito o melhor que pode. O que passa disso é o que chamamos de milagre.

A procrastinação é um comportamento natural de todos os seres humanos. A diferença está na intensidade que as pessoas procrastinam e qual é o padrão mental de escolhas. A procrastinação é o comportamento que concretiza a decisão tomada, neste caso, fazer depois.

Procrastinação não é a mesma coisa que preguiça. A preguiça é a ideia de não desperdiçar energia. Essa ideia surge na escolha de que algo não vale à pena ser feito, sendo a escolha, poupar energia. Portanto, a procrastinação é o resultado da escolha poupar energia, preguiça.

Há quem procrastine apenas no trabalho ou na vida social, por exemplo, ou a procrastinação permeia todas as áreas da vida de alguém?

A procrastinação é algo inerente ao ser humano. O que acontece é que em alguns ambientes a procrastinação gera consequências mais evidentes causando a impressão que a pessoa age desta forma somente num determinado ambiente.

Eu sugiro adotar uma metodologia para tomada de decisões. A intenção desta metodologia é ajudar a criar um padrão mental mais qualificado para decidir, e mesmo que a decisão seja procrastinar, o será feita com a tranquilidade de que não está sendo gerado nenhum prejuízo. A metodologia que indico é a Matriz GUT, onde as tarefas a serem feitas são listadas numa planilha e classificadas a partir da Gravidade, Urgência e Tendência. Após pontuar as tarefas existe um fator que o permitirá visualizar o que é prioritário e o que pode ser procrastinado sem prejuízos. Estou disponibilizando um modelo em anexo que certamente irá lhe ajudar.

Compartilhe esse artigo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!