No Dia Mundial Sem Carro, ortopedista dá dicas para quem quer se tornar um ciclista sem prejudicar a saúde

ciclista - interno

No dia 22 de setembro, é celebrado em todo o mundo o Dia Mundial sem Carro, ação que incentiva as pessoas a deixarem seus automóveis em casa e experimentarem outras alternativas de locomoção, como a bicicleta. A adoção da “magrela” faz parte do estilo de vida de uma fatia da população que deseja uma vida mais saudável e um planeta com menos poluição.

 

Para se tornar um ciclista de carteirinha, no entanto, é preciso tomar alguns cuidados para que a prática da atividade não prejudique o corpo, como ensina o ortopedista Marcello Serrão. O médico tem mais de 20 anos de experiência na área.

 

Além das questões relacionadas ao meio ambiente, os principais benefícios da atividade são o alto gasto energético e o fato de ser uma atividade lúdica e mais prazerosa que outras, já que é feita ao ar livre.

 

Segundo Serrão, é preciso ter atenção para evitar a sobrecarga na articulação do joelho e a pressão sobre a coluna lombar e sobre a próstata (no caso dos homens). Além disso, antes de começar esta atividade, é fundamental fazer uma avaliação com cardiologista e ter equipamentos que aliem qualidade e conforto.

 

“Um selim acolchoado, que proteja a região perineal é importante, assim como ter uma bicicleta regulada de acordo com o tamanho do ciclista. Pacientes cardiopatas ou com insuficiência venosa dos membros inferiores devem evitar as formas mais intensas de ciclismo. O mesmo serve para os pacientes com problemas no joelho, como a condropatia patelar, ou problemas na coluna vertebral”, alerta.

 

É preciso ficar atento também à frequência que a atividade é realizada. Para evitar danos à saúde, os exercícios aeróbicos, como é o caso do ciclismo, são recomendados numa frequência de três a quatro vezes por semana, num período que varia de 30 a 40 minutos.

 

Mais sobre o especialista:

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e da Brasileira de Cirurgia do Joelho, membro do Comitê de Joelho da SBOT-RJ, Dr. Marcello Serrão atua há mais de 20 anos em cirurgias do joelho. Especialista em medicina do esporte, já operou vários jogadores de futebol e outros atletas.

Compartilhe esse artigo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!