A importância do sono para os idosos

Uma noite de sono reparadora é importante para todas as idades e não é diferente para o idoso. Uma noite mal dormida reflete no raciocínio e na dificuldade de se lembrar de coisas simples. Muitas pessoas acreditam que o idoso dorme menos. Mas isto não é verdade. Em média o idoso deve dormir entre sete e oito horas por dia. Mas o idoso que dorme entre cinco/seis horas e tem a fase do sono profundo, também fica bem.

Sono-Recreio
É importante procurar um neurologista assim que o problema comece a afetar o dia a dia da pessoa.

Mas se o sono for agitado, levantando muitas vezes para ir ao banheiro, por exemplo, o sono não será reparador. O sono tem cinco estágios – 1, 2, 3, 4 e REM – e o cérebro age de forma diferente em cada fase. Em alguns estágios seu corpo se movimenta e em outras permanece imóvel. Tem etapas que estão ligadas diretamente com a saúde de sua memória, concentração e até problemas de estresse.

Os quatro primeiros estágios são necessários para o descanso e relaxamento do indivíduo. Pessoas que tem problemas de insônia normalmente não conseguem passar do estágio 1 e as pessoas com má qualidade de sono raramente completam o ciclo como sono REM.
É importante ter uma rotina para o sono. Antes de dormir não assistir programas na TV que contenham cenas de violência e muita ação, evitar bebidas com cafeína e fazer uma refeição leve também ajudam a ter uma boa noite de sono. Ao anoitecer o idoso deve manter a casa iluminada para não ter sono muito cedo e procurar ter uma rotina.

Isto é, dormir e acordar no mesmo horário, para ter um sono reparador e evitar acordar cansado, desanimado e sem energia para fazer suas atividades diárias. Se mesmo com essas medidas o idoso não consegue dormir bem, deve ser investigado se não existe algum problema respiratório, como apneia ou ronco, e tratar. É importante procurar um neurologista assim que o problema comece a afetar o dia a dia da pessoa.

Muitos profissionais possuem especialização na área do sono. Feito uma avaliação e descobrindo a causa do problema, a pessoa pode iniciar um tratamento multidisciplinar para combater a insônia, dependendo da origem. O tratamento vai depender da causa do problema. Existe medicação específica, mas existe também uma mudança de hábitos e rotina que também podem trazer resultados. A pessoa que sofre de insônia deve descobrir o que está causando este sintoma.

* Artigo publicado pelo colunista André Lima, neurologista diretor da Neurovida.

Compartilhe esse artigo!

Gostou desse artigo? Comente!

Quer divulgar o seu negócio aqui?
Chame no WhatsApp!